Restaurante A Horta reabre ao público no Páteo Alfacinha

Restaurante típico do Páteo Alfacinha abre as portas esta sexta-feira para mais uma época de verão, naquele que é reconhecido como um dos espaços característicos das tradições populares de Lisboa, que ganha ainda mais charme e magia na época dos Santos Populares.

As especialidades da gastronomia portuguesa e os grelhados suculentos são o ponto forte de A Horta, restaurante do Páteo Alfacinha, que funciona apenas nos meses de verão e que está, a partir de hoje, aberto para clientes individuais e eventos privados.

“A qualidade e frescura da matéria prima, com alimentos frescos que chegam diariamente de produtores nacionais rigorosamente selecionados” é, para Miguel Seijo y Seijo, proprietário do Páteo Alfacinha e CEO do grupo Casa do Marquês, o “grande cartão de visita” de A Horta.

Aliada à boa cozinha tradicional portuguesa e ao bom serviço, A Horta apresenta uma vista surpreendente sobre a cidade e o Rio Tejo, que pode ser apreciada sob a frescura de uma latada natural, razões que propiciam momentos únicos em família ou entre amigos.

Com mais de 35 anos de existência, o Páteo Alfacinha nasceu de um sonho do seu criador, Vitor Seijo, com o intuito de perpetuar a memória das antigas artes e ofícios de Lisboa e as suas tradições seculares. Ali podemos encontrar espaços como uma barbearia, uma taberna, uma padaria, um antiquário, casas antigas decoradas a preceito e até uma capela. Alguns dos espaços no interior do

Páteo Alfacinha são dinamizados diariamente por ateliers e startups, que encontraram o espaço ideal para as suas atividades.

“O Páteo Alfacinha é um lugar único na cidade de Lisboa, que embora faça reviver o que foram outros tempos, tem todo o potencial e a modernidade necessários para ser um projeto com futuro. Ali encontramos detalhes de como era a vida no passado mas, acima de tudo, é um projeto sólido que reforça as qualidades ímpares de Lisboa”, destaca Miguel Seijo y Seijo, que prossegue agora o sonho do avô.